Rua Padre António Vieira, Edifício da AAC, 3000-315 Coimbra gefac.uc@gmail.com 239 826 094

III Ciclo Formativo de Teatro Popular

PROGRAMA

O GEFAC começou nos anos 70 a dedicar o seu trabalho ao teatro – incidindo a sua pesquisa na região transmontana de Miranda do Douro. Deste trabalho culminaram duas publicações do GEFAC, que serão redescobertas e reinterpretadas à luz do GEFAC-presente e daqueles que o mantém e lhe dão vida.
À semelhança dos dois primeiros Ciclos, cruzam-se actividades teóricas: conversa/colóquio, com outras mais práticas: oficinas/exercícios. Pretende-se contribuir para a construção e/ou formação do actor na prática de Teatro Popular, ao nível do corpo, da voz, do espaço e da improvisação.

DESCONSTRUIR PARA CRIAR
Pela companhia de Teatro Birra Produções
14 a 16 de Fevereiro 2020,  Sala de ensaios do GEFAC

A desconstrução do próprio eu, voltando à natureza ingénua do ser personagem, construindo a verdade por cima das tábuas. Esta oportunidade de descobrir a vida do ator, expandindo corpo, espírito e mente. Num ambiente lúdico, mágico, partilhando experiências criadas no momento, percebendo assim que somos espectadores e atores. Descobrindo o teatro, o ser descobre-se humano.

O CURSO DAS PALAVRAS
Pela Actriz Sílvia Brito
29 de Fevereiro e 1 de Março 2020, Sala B TAGV | LIPA

Workshop prático de curta-duração de abordagem ao texto e ao acto da fala na construção teatral. Desenvolve-se a partir de exercícios técnicos e de acção dramática para exploração, consciência e integração orgânica de factores corpo-presença, materialidade da palavra e ambiguidade do discurso, ampliação e consolidação vocal, componentes, caminhos e contextos da fala, libertação do discurso em acção. Destina-se a praticantes e estudantes de teatro, podendo ser frequentado pelo público em geral.

Sílvia Brito é licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa. Iniciou a actividade teatral no Cénico de Direito em 1985. Integrou o elenco do Teatro Nacional D. Maria II (1990-92). Em 1992, integrou A ESCOLA DA NOITE – Grupo de Teatro de Coimbra, onde trabalhou até 2010 nas áreas da
actuação, encenação, dramaturgia, formação e documentação. Enquanto actriz integrou o elenco de mais de trinta criações dessa companhia (textos de Marivaux, Achternbusch, Gil Vicente, Beckett, Ésquilo, Eurípides, Bernhard, Abel Neves, Cabrujas, entre outros, em encenações de António Augusto Barros, Ricardo Pais, Nuno Carinhas, Konrad Zschiedrisch, entre outros). Aí, encenou, entre outros espectáculos, Jacques e o seu Amo de M. Kundera, Almocreves e outras cousas… de Gil Vicente, Dois perdidos numa noite suja, de Plínio Marcos, Profundo de Cabrujas, TNT—Tumulto no Teatro, de Raul Brandão e Este Oeste Éden, de Abel Neves. Em 2002 integrou a CENA LUSÓFONA – Associação Portuguesa para o Intercâmbio Teatral onde se dedicou ao projecto Base de Dados da Dramaturgia em Língua Portuguesa. Em 2011 criou, com António Jorge, o projecto de criação, formação e programação artística RAZÕES POÉTICAS – associação informal de artes, onde desenvolve actividades de criação e formação artística em cruzamento de práticas profissionais, amadoras e em comunidade. Em 2012 fez assessoria de Direcção no CHAPITÔ na área da Educação Artística. Integra, desde 2012 a CTB-COMPANHIA DE TEATRO DE BRAGA enquanto actriz (textos de Ésquilo, Thomas Bernhard, Abel Neves, Jean Genet, Turguéniev, Schimmelpfennig, em encenações de Rui Madeira, Alexej Schipenko e Abel Neves, entre outros). Na CTB encenou Em Pessoa (textos de Fernando Pessoa) e Amor de Perdição (Camilo Castelo Branco). Dirige regularmente Oficinas de Leitura e Interpretação no âmbito do projecto de formação de públicos BragaCult, destinadas a professores e alunos do Ensino Básico e Secundário e ao público em geral.

Apoio: TAGV


Cartaz do III Ciclo Formativo de Teatro Popular do GEFAC

Partilhar